sábado

Os 10 Mandamentos e como a sociedade moderna os tem praticado

Os 10 Mandamentos 
Versão Bíblica - Êxodo 20

1)  Não terás outros deuses diante de mim.

2)  Não farás para ti Ídolo de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.

3)  Não tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão; porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.

4)  Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.

5)  Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá.

6)  Não matarás.

7)  Não adulterarás.

8)  Não furtarás.

9)  Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.

10)Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o escravo, nem a sua escrava, nem o seu boi, nem coisa alguma do teu próximo.
_________  X _________

Os 10 Mandamentos 
na Versão da sociedade moderna

1)     O desprezo a Deus e à sua Palavra são evidentes na substituição da devoção que deveria ser dada ao Senhor mas que em lugar disso é dada na adoração a falsos deuses que são criados pela imaginação humana. Essa idolatria é praticada na devoção a entes espirituais de falsas religiões ou a seres e a coisas materiais, dentre eles o culto de si mesmos e a devoção prestada ao dinheiro. Não existe a possibilidade de não adorarmos alguma coisa, não existe nenhum ateu verdadeiro. Sempre colocaremos algo em nossos corações para ser adorado, seja o Deus verdadeiro ou muitas das formas de deuses falsos.
2)     A idolatria é uma indústria profícua, próspera, criativa. Fabrica-se diversos ídolos para corresponder ao anseio humano de reverenciar algo e para ser objeto de devoção. São estátuas religiosas que recebem uma identidade pelo imaginário dos seus devotos; são seres místicos que imagina-se existirem no céu, na terra ou na água; são pessoas comuns que são elevados à condição de semideuses, reverenciados como gurus espirituais, objetos de devoção histérica nos astros do show business ou cultuados em personalidades das áreas dos negócios, das ciências ou da tecnologia. Ídolos são diferentes do Deus verdadeiro porque podem ser fabricados, Deus não.
3)     A palavra Deus e o nome de Jesus são sistematicamente usados em vão por práticas religiosas que deturpam o Evangelho e são tratados como palavras mágicas para a realização de desejos de gente que não se importa verdadeiramente com os mandamentos de Deus. Proclamar o nome de Deus sem sujeitar-se a Ele é impetrar sobre si o juízo divino.
4)    O dia do Senhor e a prática do culto a Deus estão cada vez mais reduzidos à insignificância, ao desprezo e ao vilipêndio. O trabalho desordenado e o lazer ocupam cada vez mais o dia que deveria ser dedicado ao Senhor e à sua causa. O deslavor dado à guarda desse dia é proporcional à desimportância que muitos dão ao próprio Deus – um absurdo que resulta na desordem social em que trabalho e lazer escravizam e consomem.
5)     A honra aos pais e às boas tradições são cada vez mais desvalorizados. O abandono dos idosos e o desprezo aos valores antigos são proporcionais ao desvalor que muitos têm dado à família. A ideia de autonomia que a atual geração nutre por alegar viver “novos tempos” apenas resultará em toda uma geração alienada, perdida, vazia de significado e que está à mercê de perversos que lhes apresente qualquer proposta fundamentalista que lhes pareça nova e funcional para trazer-lhes algum significado existencial. A longevidade prometida pelos novos tempos modernos não resistirá ao vazio existencial imediato.
6)     Assassinos são tratados com a complacência de legisladores frouxos e os abortos avançam impunemente. A prática de assassinatos sob disfarces que minimizam sua malignidade é coisa cada vez mais comum e cada vez mais impune. Cada vez mais o valor da vida humana é medido pelo que se tem e não pelo que é.
7)     O casamento monogâmico entre homem e mulher tem sido atacado pela promoção de promiscuidades, infidelidades e adultérios. O desejo sexual por alguém diferente do cônjuge é coisa amplamente estimulada por todos os meios de comunicação e por atividades consideradas culturais. O divórcio foi banalizado, o recasamento é normal, os falsos casamentos entre pessoas do mesmo sexo são cada vez mais aceitos. Caminhamos para a completa perversão na união matrimonial, das práticas sexuais das pessoas e da formação das famílias .
8)     O crime do roubo é cada vez mais impune, é o cidadão que se transformou num refém aprisionado atrás de grades de proteção. O crime organizado está cada vez mais forte assim como os grandes roubos por meio da corrupção política, que atingem populações inteiras, privando-as da saúde, da educação, do progresso e do desenvolvimento social e humano e por fim o roubo da sua liberdade e integridade.
9)     A mentira foi institucionalizada e elevada ao status de arte da persuasão. A manipulação dos fatos é usada por aqueles que justificam que “os fins justificam os meios”. Cônjuges infiéis, estudantes indisciplinados, políticos, marqueteiros, especuladores do mercado financeiro, profissionais das mídias, religiosos... todos somos tentados a tirar proveito de diversas situações com a manipulação dos fatos e especialmente aqueles que lidam com multidões e com a opinião pública valem-se desse artifício.
10)   A cobiça e o desejo são os principais instrumentos num sistema de organização social que depende do consumo. Para vender uma ideia ou produto as cobiças das pessoas precisam ser estimuladas, alimentadas. Os sentidos humanos estão rendidos a manipulações que os levem a invejar, cobiçar e consumir.


Acha mesmo que essa geração passará impune no juízo de Deus?
A única salvação é:
Arrepender-se e crer em Cristo conforme ensina o Evangelho.