terça-feira

Filme Spotlight - sobre as perversões acobertadas pela instituição religiosa para preservar apenas a sua imagem



Aos amigos e irmãos cristãos, de quaisquer vertentes, eu recomendo o excelente filme Spotlight.

Neste filme é retratado, com muito cuidado e bom senso, o processo investigativo (Jornalístico com "J" maiúsculo) sobre diversos pecados gravíssimos, crimes de pedofilia que eram praticados por clérigos católicos sistematicamente acobertados pela instituição religiosa.

Penso que este filme é pertinente para que se promova uma reflexão responsável sobre os graves riscos que existem de se perverter qualquer instituição, principalmente as cristãs como igrejas, concílios e outras organizações cristãs, quando a preocupação para se manter a lisura nas aparências é tratada como prioridade em comparação com o zelo que se deve ter com a verdade e com a justiça.

Quando a política é engajada para proteger colegas faltosos a fim de se manter apenas a boa imagem superficial de uma instituição, obtém-se o fruto podre da inutilização dessa organização para um bem realmente justo e bom. A coisa toda estraga e Deus não pode ser glorificado em qualquer coisa que esse ajuntamento corrupto faça.

Toda instituição humana, como é a igreja, está sujeita a ser contaminada com as perversões e com os pecados das pessoas que as formam. Mas a igreja tem a obrigação de lutar para manter-se fiel à verdade - uma verdade eterna, imaculada, justíssima e transcendente que é o Evangelho de Cristo, por meio da fidelidade teológica e de uma prática dedicada das doutrinas cristãs.


Com relação às outras instituições, especialmente religiosas, eu penso que a perversão de verdade e da justiça são, nelas, um mal inerente, mas que também precisas ser confrontado. Apenas da igreja de Cristo deve-se esperar nada menos que um testemunho correto e verdadeiramente santo.