quinta-feira

Deus precisa de dinheiro?

Deus precisa de dinheiro?
Não!
Pessoas precisam de dinheiro. Igrejas, que são organizações humanas, também precisam de dinheiro. Famílias precisam de dinheiro. Organizações humanitárias precisam de dinheiro...
Você deve desconfiar de todo líder religioso que fica falando em dinheiro. Saiba disso: todo líder religioso que condiciona a bênção divina ao dinheiro é mentiroso, canalha e estelionatário.
A contribuição em dinheiro por um cristão numa igreja deve ser exclusivamente por causa da consciência de que uma igreja ou uma missão são mantidos pelo trabalho e pelas contribuições da coletividade. É como uma grande família que é mantida pela colaboração de todos. Por isso as contribuições são apenas um dos reflexos da responsabilidade que os cristãos devem ter de que a manutenção e o progresso de uma igreja ou de uma missão depende de todos os que participam dessa pequena parte do Reino de Deus.
Na verdade é Deus quem sustenta a sua igreja, mas Ele decidiu usar como meio para isso o trabalho e as contribuições das pessoas que o servem. Só que essas pessoas que sustentam a igreja, na verdade, são sustentadas pelo próprio Deus em toda provisão que Ele dá. Ou seja, manter a obra de Deus é um privilégio de quem se reconhece sustentado por Deus na medida em que Ele é o provedor do nosso trabalho, da nossa capacidade de trabalhar e de realizar diversas coisas, Ele é o provedor do nosso alimento, do ar que respiramos, da nossa vida e da plenitude da nossa existência. Por isso contribuir é um ato de gratidão e de empregar bem o que de Deus temos recebido.
É com as nossas contribuições - que devem ser em trabalho (a contribuição mais importante) e em dinheiro - que o serviço cristão prossegue. Sem o serviço cristão não conheceríamos a Deus, pois Ele decidiu se fazer conhecido através do trabalho das pessoas, através da pregação do Evangelho. Então contribuir é dar os meios humanos para que o trabalho humano de servir a Deus prossiga. Esse é um ato de fé (porque você acredita que esse trabalho deve ser mantido) e de amor (porque você dá importância a esse trabalho).
Por isso, contribuir é um ato que deve ser feito com muito CRITÉRIO! Não contribua para algo que não serve ao Evangelho ainda que, supostamente, falem de Jesus ou da Bíblia. Muitos bandidos usam a fé alheia e manipulam a religião para propósitos muito diferentes dos verdadeiros propósitos de Jesus - é só ligar a TV num programa "evangélico" que você, provavelmente, verá um desses mentirosos falando.
Não contribua para que gente mal-intencionada continue a fazer o seu desserviço, não contribua com (falsas) igrejas lideradas por gente que enriquece às custas da manipulação da fé dos outros e não contribua com quem não prioriza a piedade cristã que deve ser voltada para o serviço aos necessitados.
Nossas contribuições não são condicionadas às "bênçãos" que gostaríamos de receber, essa relação não tem nada a ver com o caráter gracioso de Deus, não podemos "comprar" os seus favores. Nossas contribuições são parte da provisão necessária para que a bênção de anunciar o Evangelho (um trabalho feito por pessoas) prossiga e são parte da provisão necessária para que outras pessoas sejam alcançadas pelos diversos serviços da piedade cristã. Contribuir é abençoar os outros.
Contribua com o teu melhor, mas de forma consciente - senão você apenas estará desperdiçando em coisas reprováveis os recursos que poderiam ser melhor empregados se fossem direcionados às coisas mais justas.