quinta-feira

495 ANOS DE REFORMA PROTESTANTE


495 ANOS DE REFORMA PROTESTANTE.


Representação de Lutero afixando suas 95 teses na porta da Capela de Wittemberg em 31 de outubro de 1517.

“Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, — pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.”

Efésios 2.1-10


         No próximo dia 31 de outubro comemoraremos 495 anos de Reforma Protestante. Um movimento que aconteceu no século XVI iniciado por Martinho Lutero que não se conformou com o caminho que a igreja cristã de então tomara, dominada pelo papado de Roma, exigindo atitudes de seus fiéis como condições de salvação e de bênçãos diante da igreja e de Deus. Enfrentando seus próprios pecados e disposto a promover um repensar resolveu sugerir mudanças para a igreja que se corrompera pelos interesses políticos e econômicos do clero cristão daquela época.


         Esse acontecimento é de extrema importância na história da humanidade e da igreja cristã. Pela ação do monge Martinho Lutero, de João Calvino, de Úlrico Zwínglio dentre outros tantos conhecidos e anônimos reformadores, o mundo se conscientizou de que a realidade poderia ser transformada a partir de atitudes pessoais. Muitas mudanças e conquistas foram alcançadas e hoje toda a sociedade desfruta de seus benefícios. A Renascença e o Iluminismo, períodos da história onde avanços consideráveis foram estabelecidos na humanidade, foram frutos da influência direta da Reforma Protestante que foi o embrião para quase todas as transformações radicais nas áreas de tecnologia, ciência, economia e no âmbito sociocultural dos séculos XVII e XVIII.


         Com toda a certeza quem mais recebeu influências e transformações advindas da Reforma foi a Igreja. A Bíblia foi colocada nas mãos do povo que, até então, não tinha acesso a ela. Lutero traduziu toda a Bíblia, primeiramente o Novo Testamento e posteriormente o Antigo, para o alemão e incentivou a todos que a estudassem. Muitas verdades foram estabelecidas e muitas mentiras foram desmascaradas, mentiras de líderes religiosos com propósitos de enriquecimento e manutenção de poder manipulando a consciência fragilizada dos menos favorecidos. Verdades norteadoras foram fundamentadas, como os conhecidos Cinco Solas da Reforma:

1.      Sola Scriptura: que reestabelece a Escritura Sagrada como inerrante e fonte única de revelação divina escrita, única para constranger a consciência. A Bíblia sozinha ensina tudo o que é necessário para nossa salvação do pecado, e é o padrão pelo qual todo comportamento cristão deve ser avaliado;


2.      Solus Christus: que reafirma a salvação é realizada unicamente pela obra mediatória do Cristo histórico. Sua vida sem pecado e sua expiação por si só são suficientes para nossa justificação e reconciliação com o Pai;


3.      Sola Gratia: reafirmando que na salvação somos resgatados da ira de Deus unicamente pela sua graça. A obra sobrenatural do Espírito Santo é que nos leva a Cristo, soltando-nos de nossa servidão ao pecado e erguendo-nos da morte espiritual à vida espiritual;


4.      Sola Fide: a justificação é somente pela graça, somente por intermédio da fé e somente por causa de Cristo. Na justificação a retidão de Cristo nos é imputada como o único meio possível de satisfazer a perfeita justiça de Deus, e;


5.      Soli Deo Gloria: reafirmando que, como a salvação é de Deus e realizada por Deus, ela é para a glória de Deus e devemos glorificá-lo sempre. Devemos viver nossa vida inteira perante a face de Deus, sob a autoridade de Deus, e para sua glória somente.


         Observando a sociedade em que vivemos nos deparamos com uma diluição de fundamentos e de qualquer tipo de normatização, mesmo as mais essenciais e norteadoras de vida são alvos de distorções e descréditos.


         Reflitamos nas Escrituras Sagradas que nos relembra a necessidade de um repensar a respeito da vida e da espiritualidade levando-nos à consciência da necessidade de voltarmos aos princípios da reforma em meio ao turbilhão em que vive a igreja contemporânea. Paulo, o apóstolo, afirma em sua carta aos irmãos de Éfeso, que a vida de Deus em nós se tornou possível somente por ele, e ele somente. Foi exatamente isto que Deus fez em Cristo Jesus, e por isso, cada um de nós, de forma integral, deve viver o Evangelho integral de Jesus Cristo.


         Não podemos nos esquecer da motivação de Deus em oferecer salvação ao perdido: sua misericórdia e seu grande amor. “Pela Graça sois salvos mediante a fé, isso não vem de vós, vem de Deus”. Essa é a grande mensagem da Reforma. Amor e Misericórdia de Deus expressos claramente na ação histórica redentiva de Cristo Jesus.


         Quando comemoramos o Dia da Reforma Protestante, é importante pensar sobre os ensinos que levaram Lutero a tomar tal atitude. Batalhemos pela fé cristã como ele, fé que foi entregue a nós (Judas 3).


         Hoje é tempo de um retorno aos princípios da Reforma – volta às Escrituras, volta à vida de gratidão pelos atos de graça, bondade e misericórdia de Deus para conosco.


         Que o Eterno Criador ajude-nos, ilumine-nos e conduza-nos diariamente nas verdades fundamentais do evangelho e que cada um de nós viva em conformidade com o seu precioso chamado.


         Em Cristo, Nosso Senhor.

         Rev. Jorge Diniz

         Belo Horizonte, outubro de 2012


Fonte: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA SEGUNDA IGREJA PRESBITERIANA DE BELO HORIZONTE
8/10/2012